Uma Questão de Escolha.

setembro 29, 2014

Uma das primeiras escolhas com que nos deparamos quando criamos um blogue é o revelar, ou não , a nossa identidade. Quando criei o blogue optei por não utilizar o meu nome. O meu nome é algo com que me identifico e, a meu ver, o que mais me identifica, tenho bastante orgulho nele e não tenho qualquer razão para o esconder no entanto optei por não o utilizar aqui. Não porque queria esconder a minha identidade mas porque não sabia se iria conseguir fazer com que este blogue fosse uma parte de mim e portanto escolhi outro nome. Picuinhas como sou também não queria escolher um nome só por que sim. Queria tornar este espaço tão meu quanto possível portanto assinar as publicações com um nome aleatório não foi sequer uma opção. O primeiro que me ocorreu, e sei agora que é o único que faz sentido, foi Tulipa Negra.

Sem me aperceber acabei por escolher algo ainda mais pessoal que o meu próprio nome, algo que só o meu avô materno me chama, uma coisa que nos une, que me distingue das outras quatro netas e que , inevitavelmente, me faz sentir sempre um bocadinho mais especial e, honestamente, a preferida.
Sem ter a intenção revelei logo uma parte muito pessoal de mim, apesar de nunca o ter explicado, e não me arrependo. Talvez seja por isso que este blogue se tornou algo tão especial para mim e que reflecte, cada vez mais, uma parte da confusão que eu sou.

Não gosto de filtrar o que digo ou o que penso portanto não faria sentido fazê-lo aqui. Quando refiro alguém que faz parte da minha vida trato-os pelos menos e não por iniciais, já disse em que cidade vivo, em que faculdade estudo, o curso que frequento, alguns locais onde vou, os nomes do meus melhores amigos, dos meus irmãos e tantas outras coisas que não diria se tivesse intenção de esconder quem sou.

Não tenho a menor sombra de dúvida de que se algum dia algum familiar ou amigo chegado ler este blogue saberá, apenas com a leitura de algumas publicações, que este blogue é meu. Isso não me assusta, muito pelo contrário, deixa-me feliz. Feliz porque este espaço se está a tornar exactamente aquilo que queria. Não está aqui tudo aqui que sou mas tudo o que está aqui faz parte de quem eu sou e era exactamente isso que pretendia quando criei o blogue.

Let's hide

You Might Also Like

6 comentários

  1. Sei do que falas. Se algum amigo ou familiar lesse o meu blog, saberia que era eu. Mas também não me importo com isso.

    ResponderEliminar
  2. É incrível como a blogosfera nos permite sermos livres cada um à sua maneira :)

    ResponderEliminar
  3. É bom ter-se orgulho no nosso blog, e planeá-lo com cuidado e geri-lo com gosto.

    ResponderEliminar
  4. muito bem dito, sim senhor

    umacolherdearroz.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. A minha maneira de ser é não esconder a identidade tanto aqui como numa conta do face que tenho, mas compreendo que as pessoas tenham essa vontade e não as condeno.
    Gosto sempre se saber o nome ou a alcunha porque é na troca de comentários que ficamos a conhecer a pessoa, há algumas pessoas que entendem há outras que não em relação a isso não posso fazer nada, há já algum tempo que deixei de julgar as pessoas não sou ninguém para o fazer.

    beijinhos.*

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito de saber o significado do teu nome aqui. Não podia ser mais pessoal. :)

    ResponderEliminar